Design Responsivo

A internet está ficando cada dia mais veloz, seu conteúdo mais rico, a facilidade de acesso é uma realidade e as telas estão ficando cada vez menores. Na verdade as telas não estão ficando menores, o que está realmente acontecendo é que estamos conseguindo acessar a internet de diferentes canais e entre estes temos desde as minúsculas telas dos smartphones até uma televisão de 52 polegadas. Essa tela não é pequena, então, para qual tela o seu site foi feito?

Um novo adjetivo está surgindo no mercado de websites e veio para ficar. Design Responsivo é aquele que consegue se adaptar a diferentes telas e quando afirmo que ele se adapta não estou dizendo que ele simplesmente funciona, um projeto responsivo se reorganiza da melhor forma para apresentar seu conteúdo de acordo com o dispositivo do usuário. Só para ter uma ideia, segundo o Portal Our Mobile Planet gerenciado pelo Google, 14% da população brasileira já possui smartphone, 50% desse número possui acesso a internet e 9 em cada 10 brasileiros ou possuem ou desejam ter os chamados telefones inteligentes. Outro dado interessante, agora do CGI.br (Comitê Gestor de Internet do Brasil), entre 2010 e 2011 o acesso via dispositivo móvel cresceu 340% contra apenas 40% dos PCs e essa diferença só vem aumentando.

Ao se libertar das telas e se convencer que um projeto web necessita ser responsivo precisamos formular o perfil do usuário e identificar qual ou quais seriam os dispositivos comuns de acesso do público alvo em questão. Desenvolver um projeto 100% responsivo pode ficar excessivamente caro e não trazer o retorno desejado, já que nesse universo temos que levar em conta os desktops, notebook, tablets, smartphones, televisores, videogames, geladeiras entre outros possíveis mecanismos com acesso a internet que existem e que estão por vir. Isso sem entrar no mérito das plataformas nativas desses dispositivos: Android, Mac, Windows…

Segundo estudo realizado pela Iteractive Advertising Bureau (IAB Brasil), denominado “Como 80 milhões de brasileiros acessam a internet no Brasil” o desktop lidera com 77%, seguido pelo notebook (59%), smartphone (40%), tablets (30%), videogames (12%), outros (12%). O interessante nesse estudo é a separação de perfis e a formação de tribos pelos dispositivos. Por exemplo:

• Os jovens preferem realizar os acessos via smartphones, tablets e videogames;
• 62% da audiência brasileira online acessa a internet via dois ou mais canais;
• 61% dos brasileiros acessa a internet enquanto assistem TV;
• 23% dos jovens adultos (entre 25 e 34 anos) acessam a internet por quatro ou mais canais.

Levando em consideração esses entre outros fatores cada projeto necessita de um estudo particular para determinar onde o conteúdo deve ser adaptado e quais informações devem ser privilegiadas. Um projeto web bem estruturado deve ter pelo menos 2 canais com responsividade aumentando a eficácia e o feed-back a respeito de seu público, direcionando o investimento e garantindo um satisfatório retorno para o seu negócio. A constante manutenção do site nesse sentido é fundamental para que ele possa se manter tecnologicamente compatível, relevante e o alcance sempre eficiente.

———————————————————————————————–

Fontes: Guia das Cidades Digitais | Think With Google